ESPORTE


Empresário cearense "aluga" futebol de base do Barrasfc


Barras: Time 100% cearense disputando o Campeonato Piauiense Sub-18

Barras (PI) - O time de juniores do Barras Futebol Club que participa do Campeonato Piauiense Sub-18 deste ano está com 22 jogadores vindos do Estado do Ceará. Apenas 2 piauienses da cidade de Barras fazem parte do elenco do "Bafinho" (como é chamado o time de juniores), mesmo assim não são nem relacionados para os jogos.
Os 22 jogadores cearenses são do empresário Kleber, atuante na região de Juazeiro do Norte/CE. Comentários extra-oficiais dão conta de que a diretoria do Barras Futebol Club está recebendo dinheiro para que o empresário cearense Kleber coloque seus jogadores em ação no Campeonato Piauiense Sub-18 vestindo a camisa do Leão do Marathaoan. A editoria da tribunadebarras.com telefonou para o presidente Paulo Afonso Silva para que se pronunciasse mas seu telefone celular não atendeu. Se confirmada a "transação", essa é mais uma forma de ganhar dinheiro de uns 3 ou 4 diretores bafianos; afinal, o Barras Futebol Club foi fundado em 15-11-2004 e já tendo participado de várias competições estaduais e nacionais, com jogos transmitidos ao vivo pela TV para todo o Brasil, não possui um só bem próprio, nada no nome do clube, uma conta bancária, um campo sequer para seus jogadores treinarem. O time de fato é "um meio de vida" para alguns e uma forma de se fazer político-partidária; não é à toa que seu presidente já é até presidente de um partido político na cidade de Barras, 45 mil habitantes, distante 119 Km ao norte de Teresina. Assim vai... para o fundo do poço, as iniciativas futebolísticas. 
Os jogadores juniores cearenses moram em Barras numa casa de propriedade do técnico Neném Gregório, ex-jogador profissional do time e segundo consta, funcionário da empresa PR - Construções, de propriedade do presidente Paulo Afonso Silva e do diretor de futebol Robert Brow Carcará da Silva. A mesma PR Construções é responsável pela reforma do prédio da FFP - Federação de Futebol do Piauí e da construção da nova sede das Classes Produtoras do Piauí, ambas presididas pelo empresário Cesarino Oliveira Sousa. 
O Tricolor Barrense deixou de participar do Campeonato Piauiense de Profissionais da 1ª Divisão em 2012 devido a falta de patrocínio. Nem a Prefeitura de Barras e nem alguma empresa pública ou privada se dispôs a estampar sua logomarca nas camisas do glorioso Bafo, tudo devido a falta de credibilidade dos seus dirigentes junto ao empresariado. Do time que participou do Torneio Movimentação 2012, em fevereiro, vários jogadores foram embora sem receber salários e os que receberam foi apenas R$ 100,00 ou R$ 150,00. Por falar em dirigentes, a diretoria do clube é a mesma desde a sua fundação, não obedecendo  portanto o Estatuto do time e nem as regras de filiação da FFP - Federação de Futebol do Piauí e da CBF - Confederação Brasileira de Futebol.
BOMBA: O Comercial Carlos, empresa de material esportivo de Teresina, estabelecida à Rua Félix Pachêco, por trás do Centro de Artesanato Mestre Dezinho, entrou com ação na Justiça contra o Barras Futebol Club alegando falta de pagamento de débitos oriundos do ano de 2007. Na primeira audiência o representante do Barras alegou que "deu o cheque no valor da compra mas não recebeu as mercadorias, daí sustou o cheque junto a agência bancária". Já o Comercial Carlos alega que as mercadorias foram entregues para os dirigentes para serem usadas no Campeonato Brasileiro da Série C de 2007.FONTE:tribunadebarras.com/MarataoaNews.com

Reações: 

Postar um comentário

emo-but-icon

Follow Us

Hot in week

Recent

Comments

Side Ads

Text Widget

Connect Us

item